Método e
Inovação

 








Inovação com método

A inovação em produtos ou serviços é uma das grandes aplicações do design, e um dos motivos pelos quais ele, e consequentemente o ensino de design, são considerados questões estratégicas. Inovar, que se traduz em entregar valor de uso de uma maneira inteiramente nova, ou também como atribuir novos sentidos às coisas ao nosso redor, é um processo tratado pelo campo do design de forma metodológica. A inovação não é fruto de um insight brilhante, ou de um dom natural próprio apenas a algumas pessoas; a inovação é fruto de um procecsso estrutruado e sua aplicação em um projeto.

O método de ensino e desenvolvimento de inovação multidisciplinar criado na Universidade Federal de Pernambuco é conhecido como Projetão. Ele foi elaborado para estimular o desenvolvimento de novas iniciativas e Startups, e encaminhá-las ao Porto Digital (parque tecnológico do Recife) e o Portomídia (polo de economia criativa).
Este método é, atualmente, mantido e desenvolvido pelo Instituto de Educação para Inovação (IEI).
Trabalho desenvolvido com inovação
O esforço realizado para nutrir o desenvolvimento de inovação é dividido em três frentes simultâneas: de ensino, pesquisa e extensão.

Conceitos e fundamentos
Design de interfaces

Extensão em inovação
A extensão em inovação é um complemento às atividades de sala de aula, disponível à todos os alunos da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), que utiliza o método Projetão como estrutura metodológica.
Este projeto de extensão universitária aplica, em projetos reais, o método de inovação ensinado na UFPE. A extensão oferece uma contraparte prática e concreta aos fundamentos metodológicos trabalhados em sala de aula.
  alunos atualmente na extensão em inovação

  ex-alunos da extensão em inovação



Startups
Dentre das metas do ensino e estímulo à inovação, está o fomento à criação de novos negócios, do empreendedorismo, e do desenvolvimento econômico de uma região, que, no caso do Recife, se alinha com a demanda do Porto Digital (parque tecnológico do Recife) e o Portomídia (polo de economia criativa).
O ensino da metodologia Projetão se insere como uma integração forte entre o setor produtivo e a academia. Elaborada originalmente (em 2002) como uma tentativa de trazer o ensino para contextos reais, estudantes versados nela têm entrado, sistematica e consistentemente, nos programas de aceleração e incubação disponíveis no ecossistema pernambucano de inovação.
Este encaminhamento já está amadurecido e bem estruturado, e tem impactos diretos na vida de diversos estudantes/profissionais.


1

Aceleração
O ecossistema da Universidade Federal de Pernambuco e do Porto Digital (em conjunto ao SEBRAE), oferecem dois programas de aceleração de novos negócios para receber estas iniciativas e aprimorá-las, capacitando os alunos para uma nova fase empreendedora, onde irão captar recursos e entrar em rodadas de investimento.



2

Incubação
Os projetos de inovação podem se qualificar para um programa de incubação com duração de 6 meses a um ano (dependendo do programa), onde serão aprimorados e buscarão recursos para que entrem em produção e se tornem negócios reais.




3

Internacionalização
A parceria internacional entre o IEI e o Nguzu Project viabilizou o encaminhamento de projetos desenvolvidos dentro da UFPE para uma fase de adequação à mercados europeus. A Nguzu atua com o amadurecimento das startups lusófonas, com especial atenção aos empreendimentos desenvolvidos em Portugal, Angola e Brasil, para que possam se ajustar às necessidades e características do mercado europeu.


  alunos impactados diretamente pelo ingresso à programas de aceleração/incubação/internacionalização





Instituto de Educação para Inovação

O Instituto de Educação para Inovação, foi fundado pelos professores do Grupo de Inovação do CIn, Geber Ramalho, Cristiano Araújo, André Neves, Leonardo Castillo, Luciano Meira, Alana Elza Fontes da Gama, João Bosco Paraíso da Silva, Fernando Sales, José Carlos Cavalcanti e Guilherme Ranoya, criado à partir da experiência de construção da metodologia Projetão para o ensino de projetos de inovação, e tem a missão de difundir o inovar de forma metodológica como processo e conteúdo de aula, e ao mesmo tempo produzir os instrumentos necessários para que o ensino de inovação seja democratizado.
O instituto é responsável por administrar e integrar todas as iniciativas relacionada à metodologia Projetão, desenvolvidas dentro da Universidade Federal de Pernambuco e, atualmente, sendo replicada em diversas outras universidades como a Universidade Federal Rural de Pernambuco, a Universidade Federal do Rio Grande do Norte, a Universidade Federal de Pernambuco Campus do Agreste, e os diversos campus do Instituto Federal de Minas Gerais.
Residência em Projetão
Através de um programa de residência em disciplinas de Projetão para professores visitantes, doutorandos dos programas de pós-graduação e/ou estagiários docentes, formamos novos professores e profissionais capacitados em orientar o desenvolvimento de projetos de inovação.

Atividades planejadas
 



Produtos da iniciativa em inovação
 


orientações de trabalhos de especialização

orientações de trabalhos de graduação


Prêmios em inovação
Mérito Acadêmico por notável desempenho na orientação do projeto de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação “Bateria vestível para a recarga de eletrônicos” no 11º CICTA – Congresso de Iniciação Científica Tecnológica e Artística


Clipping (Mídia)


Olá, eu sou SAM, inteligência artificial assistente do prof. Guilherme Ranoya. Estou em processo de ser incorporado ao site do professor. Isso deve acontecer em breve, imagino.
Copyright © 2014, Guilherme Ranoya
 
 
 
 
 
 
   
MÉTODO
ATUAÇÃO
FUNDAMENTOS EXTENSÃO
ALUNOS
STARTUPS
IMPACTO
INSTITUTO
FORMAÇÃO
ATIVIDADES
PRODUTOS
ORIENTAÇÕES
PRÊMIOS CLIPPING